sábado, 25 de abril de 2015

ME PRESENTEANDO COM UM TEMPO

Meu pai tinha um grande amigo, o sr. Edwin.
Quando se encontravam ficavam conversando do meio dia até 10 da noite, tomavam  cerveja, uma  atrás da outra, comiam torresmo de porco, falavam mal do Getúlio, davam risadas, soltavam ruidosos flatos, para impaciência das respectivas esposas.
Enquanto isso eu e meu amigo, filho do sr. Edwin,que também se chama Rui, ficávamos correndo pelo bolicho, subindo em sacas de farinha e feijão e dando chutes numa pequena bola de borracha.
Eu - Ruyzão - e meu amigo , o Ruizinho, fomos para o mesmo internato.
Depois nos formamos no 2. grau no Júlio de Castilhos em P. Alegre. Passamos no vestibular da UFRGS e moramos na mesma pensão durante quase todo o curso.
Abrimos juntos um escritório, que terminou quando eu passei no concurso para juiz de direito e ele para Procurador da República.
Passamos por mil peripécias e sempre nos encontramos ao menos umas duas vezes por ano.
Ele mora longe.
Quanto tal acontece esquecemos telefones, TV, horários.
Vamos tomando café 3 da madrugada, churrasqueando 8 da manhã, dormindo meio dia, essas loucuras.
Tudo em meio a divagações, conversas, cantorias.
Para que não corramos o risco de sermos internados,  sempre evacuamos nossas casas dos filhos etc e ficamos só nós, empilhando pratos e copos sujos. E vamos metendo champagne e\ou vinhos. Nossos pontos de reunião são no sitio dele, no meio do mato, e minha casa em X. La, fora do verão.
Só paramos depois de uns dias.
Quando vou na casa dele, eu sumo sorrateiramente a hora que me der na telha.
Ele também.Lá pelas tantas saio do banho ou acordo e o carro dele não está mais. Terminou a festa.
Hora  de chamar a empregada para a faxina.
Vou na casa dele hoje, por uns dias.
Não levo celular nem lap top.
Quando voltar, aviso.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

FALECEU MEU AMIGO MANOEL BRUM CARDINAL - EX PREFEITO DE SANTIAGO


( NA FOTO de 1974 eu, o des. Butteli e o então Prefeito Cardinal)


Quando, em 1974, ainda bem jovem, recebi  convite do Presidente do TJ para assumir a comarca de Santiago, relutei muito. Minha vida até então tinha se circunscrito a Santa Cruz, onde nasci, e P. Alegre, onde me formei pela UFRGS. Tinha sido juiz em Horizontina ( 1972) e Arroio do Meio ( 1973), terras de "alemoada".
Relutava porque Santiago estava vaga há dois anos. O asfalto terminava em São Pedro.
Mas encarei sozinho ( só havia uma vara) e me mandaram substituir Jaguari e São Francisco de Assis que estavam vagas.
O Prefeito era o sr. Cardinal. Homem direito, correto, franco, sem rodeios. Fechou todas comigo. Reformamos o Forum e construímos a casa da Ajuris. Viajava muito com ele a P. Alegre.Íamos charlando o tempo todo. Muito aprendi com ele sobre manhas e lidas do campo.
Quando, por meu casamento com Maristela, retomei o contato com Santiago, reencontrei esse homem bom.
Nosso lugar de encontro era sempre na loja do seu Dejalmiro, onde muitos pecuaristas se reúnem para comprar insumos e depois ficam tomando mate e proseando.
Sempre me aconselhou. Inclusive a me cuidar na mangueira, sendo cauteloso para não ser atingido por uma vaca braba ou um touro enfurecido. E é o que faço, mesmo com animais dóceis. Não  me arrisco.
Pois meu amigo foi atingido, na sua estância, meses atrás por uma vaca braba, derrubado no chão, lastimando gravemente sua cabeça. Ficou meses num estado sem retorno.
Ontem foi para a estância grande do céu.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

TORNADOS EM UNISTALDA E XANXERÊ - SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS

Em dezembro do ano passado um tornado quase que arrasou com Unistalda ( fotos do meu blog e do Blog Unistaldense). No caso  da Pecuária Gessinger não ficou quase nada em pé. Ainda estou reconstruindo, sem ajuda pública -o que é certo, pois os recursos minguados têm que ser carreados aos pobres. Ao disse: aos pobres.
Há dias outro tornado causou estragos gravíssimos numa cidade muito maior, Xanxerê.
A diferença é que, no  caso de Xanxerê houve mortos e feridos e repercussão nacional, tanto que dona Dilma logo prestou socorro. Não me consta que alguma autoridade de maior escalão tenha se dignado a ver o que se passou por nossa região.
Nós levamos semanas para a energia elétrica ser restabelecida, mas, por graças do Altíssimo, não houve vítimas. Melhor assim.  
As quatro primeira fotos fotos são da nossa estância, as demais, da cidade de Unistalda  e publicadas pelo Blog Unistaldense.






L






 

terça-feira, 21 de abril de 2015

NO AGRONEGÓCIO NÃO HÁ MAIS DIFERENÇA ENTRE HOMEM E MULHER . ELAS E TAMBÉM OS JOVENS ESTÃO OCUPANDO ESPAÇOS, O QUE É BOM.




Maristela e Rudolf, minha mulher e meu filho com ela, estão indo todos os findes para a estância. Montam a cavalo, conferem planilhas de custos, discutem despesas e investimentos.
Acho que fora disso uma empresa familiar não sobrevive.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

A MELHOR AGENCIA DO SICREDI DO BRASIL ESTÁ EM UNISTALDA




Seguinte meus amigos: nunca tirei um empréstimo do Sicredi e não devo nada a ninguém. Nem um pila.
Mas já me relacionei  com centenas de bancos no Brasil e no exterior.
Desde que iniciei minhas atividades em Unistalda, HÁ QUASE VINTE ANOS,sou correntista do Sicredi.
Já contei a vocês que vendo cerca de 100 touros por ano, fora o gado geral. Adoro receber cheques do Sicredi. Nunca voltou um sequer. Unistalda - inadimplência zero.
Hoje fui lá com a Maristela fazer um depósito.
Que tratamento! Que cortesia.
Nas foto acima

. Da esquerda para a direita na foto, Tamara Azolin, Tanara Martins, Elias Zambeli e Lisiane Martins, esses dedicados funcionários que honram e representam exemplarmente a instituição.

 

domingo, 19 de abril de 2015

O LENDÁRIO SEU LELO DE UNISTALDA



Muitas vezes já falei, no meu blog, neste meu querido amigo, o seu Lelo.
Ele mora numa casinha, na entrada da estrada de chão que leva para a minha fazenda. É viúvo e mora solito.
Dele já ouvi mil histórias de tropeadas, de noites de ronda, enfim.
Tem mais de oitenta, mas é todo inteiro, caminha como jovem, tem uma cara de índio. É adorado por todos.
Simpático é ele.
Sempre que chego de P. Alegre, ao passar pela casinha dele dou uma parada para perguntar se não precisa de nada. Nas datas festivas, sempre lhe alcanço um chibo. Quando faço alguma festinha aqui nas casas, sempre o mando buscar. Ele toma suas cervejinhas e fica até tarde contando seus casos. Depois alguém o leva de caminhonete os 7 kms de volta à sua humilde morada.
Sou-lhe muito grato pois sempre me avisa e alerta  tanto dos perigos como das oportunidades de negócios.
Há pouco ele deixou que construíssem um pequeno CTG ou Galpão no seu terreno.
E ali houve uma pequena festa ontem.
Seu Lelo é um dos últimos campeiros do tempo em que se tropeava  quase um mês sob chuva, frio, calor, geada e tormentas.
É uma pessoa que considero integrante da minha família.

O OUTONO DOURANDO OS CAMPOS





Os campos nativos , de crescimento estival, estão, pouco a pouco adormecendo, para só voltarem a vicejar na primavera. Enquanto isso é necessário suplementar os animais com sal mineralizado e ou proteinado, que eles vão comendo a massa  seca, devido à mudança de PH do rúmen.
Em seguida essa paisagem idílica vai contrastar com o verde vivo das pastagens artificiais de aveia e azevém.
É o maravilhoso Bioma Pampa, a cujo ritmo temos que obedecer.
Evidentemente nossa propriedade não tem vocação para soja. Por isso, antes do outono já diferimos algumas áreas, tirando todo o gado, para o reintroduzir no inverno. Isso propicia que as diversas gramíneas nativas " sementeiem", garantindo o reaparecimento na primavera.
Temos menos "velocidade" do que os que consorciam soja x pecuária, mas temos o chamado " boi verde"que é o que o mundo todo quer.
 

sábado, 18 de abril de 2015

AGRADAVEIS VISITAS Á PECUÁRIA GESSINGER






Ontem uma chuva  maravilhosa.
Hoje, gente muito querida de várias comunidades de Unistalda veio conhecer Maristela e nossa fazenda.  Um chimarrão, um almoço frugal , simples e acolhedor no galpão, seguidos de muita troca de idéias sobre o futuro de nossa amada Unistalda.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

E VAMOS GUARDAR A ÁGUA DA CHUVA PORQUE ELA É INDISPENSÁVEL E VEM DE GRAÇA

~



Uma propriedade carente de água é de problemática gestão. E cada vez mais as chuvas são irregulares. Por essa razão  há que se preservar as florestas ciliares, os matos, a vegetaçao nativa.
E um ótimo investimento é caprichar nos reservatórios de água, os benditos açudes.
Estamos fazendo e aumentando as taipas sem empréstimos e com nossos próprios recursos.
Nosso país vai dar um salto quando as pessoas pouparem mais, não ficarem " pedinchando" tudo do Governo ou se entregando que nem  a vaca pro touro para os Bancos.
Se um jovem ,iniciando uma empresa me pedisse um conselho, eu diria que fosse avançando investindo com cautela , se capitalizando e, sempre de preferência evoluindo com recursos próprios.
Países evoluidos e equilibrados socialmente tem seu progresso fundado na POUPANÇA.

O MAU USO DO FACEBOOK


quarta-feira, 15 de abril de 2015

E LEVARAM TODOS OS TERNEIROS DA PECUÁRIA GESSINGER


Pois não é que meu  amigo dr. Francisco Garcia de Garcia, filho do lendário dr. Armando Garcia de Garcia veio me visitar na fazenda hoje cedo. O Grupo Garcia de Garcia é proprietário de várias fazendas, sendo uma aqui perto.
Tomamos um café campeiro juntos.Após, o dr. Chico pediu para ver meus terneiros. Ao que lhe disse que um lote grande estava numa invernada perto da sede. Conversa vai conversa vem, vendi tudo para ele.E ainda levou uns 20 sobreanos que são da Cabanha, filhos de vacas puras, mas que não tem os requisitos para serem touros. Já tinham bom peso mas o dr.Garcia concordou em me pagar  o preço do kg vivo do terneiro.
Lamento, portanto, não poder participar da feira de Terneiros de Santiago.
Como sempre digo, qualidade se defende e tem que valer.

terça-feira, 14 de abril de 2015

CONSIDERAÇÕES DURANTE A RESSOLANA UNISTALDENSE




São 13.30. Está um calor abafado. Céu nublado, deve chover hoje ou amanhã.
Neste momento, no auge da ressolana, a peonada já almoçou e todos estão sesteando. Alguns no galpão, outros sobre os pelegos debaixo de uma alve ( termo unistaldês para designar árvore). Os cuscos dormem  com um olho aberto e outro fechado e as duas orelhas em alerta. As cobras em geral  tomam seus  últimos banhos de sol. Os átomos estão parados. Não tem vento.
Só eu que não estou sesteando. Acho sem graça sestear sem companhia  .
Então só me resta pensar na vida.
Lembro-me dos escritos antigos, gregos e romanos. Quando um cara era apeado do poder, ia para o campo, repensar as próximas jogadas.O campo cura todos os lanhos.
Estou passando uma semana aqui enterrando o rico dinheirinho que ganho no escritório. Prefiro fazer mais dois açudes, arrumar cercas e aramados, pedir uma licença ambiental para roçar umas capoeiras, classificar os terneiros que venderei amanhã, do que aplicar o áureo metal na Bolsa ou especulação.
Estava pensando, do que  mais gostei na vida, fora namorar?
Tocar violino? ser advogado? Ser juiz? ser um maravilhoso zagueiro central que fui?
Acho que calçar botas, bombachas de algodão cru, montar a cavalo, lida de mangueira e charlar com a peonada. Os da cidade não proseiam ( conversam) mais. Só falam pelo uotsapi. Isso é tão sem graça como dançar com a irmã.

domingo, 12 de abril de 2015

MEU PROFESSOR INESQUECIVEL - PAULO BROSSARD


Na veneranda Faculdade de Direito da UFRGS cada ano da graduação  tinha sua sala fixa. Estávamos no segundo ano e a sala era  no térreo, as janelas dando para a av. João Pessoa.
Paulo Brossard era ainda jovem e se sobressaía no combate à ditadura.  Foi nele que votei logo ao tirar meu título. Ele era do MDB ( que se transformou depois em PMDB).
Ele vinha de terno e gravata, subia ao estrado e começava sua aula. Cada uma era verdadeira palestra. Fascinava-me a coragem e a erudição desse homem.
Em aula nunca deu um pio em favor de sua candidatura.
Depois de formado continuei adorando meu professor  e todos vocês são testemunhas de como eu o venerei todos esses anos.
Um professor como ele   cada aluno de Direito deveria  ouvir ao menos uma vez durante o Curso.

FALECEU MEU AMIGO, MEU PROFESSOR DE DIREITO CONSTITUCIONAL NA UFRGS, O MIN. PAULO BROSSARD DE SOUZA PINTO


 

A AJURIS comunica, com pesar, o falecimento do ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Paulo Brossard de Souza Pinto, aos 90 anos, ocorrido neste domingo (12/4). Natural de Bagé, o jurista também foi deputado estadual, secretário de Estado do Rio Grande do Sul, deputado federal, senador, ministro da Justiça e ministro do Tribunal Superior Eleitoral.

O Governo do Estado decretou luto oficial de três dias pela perda de Brossard. O velório será realizado no Palácio Piratini, A partir de 16 horas.